A Lista Negra

Há muito tempo, quando eu tinha uma empresa de representações de informática e ainda não existia processador de texto, minha secretária costumava mandar cartas aos clientes começando com com algo do tipo “Atendendo o seu peido nº 4765…”. Sim, você leu direito, era isso mesmo e foram muitas vezes. Hoje não tenho mais empresa nem secretária, e não preciso escrever essas cartas. Mas se o fizesse o Word não reclamaria, já que peido é uma palavra que está no dicionário. Felizmente essas distrações podem ser evitadas usando o Wordfast Classic, com o uso da Lista Negra.

O nome é sugestivo: é uma lista de palavras que não devem ser usadas. Não só termos chulos, mas também termos que o cliente não quer que use, ou termos ou expressões que se convencionou abolir (a nível de, risco de morte, etc.). E é fácil criar uma lista dessas, é um simples arquivo texto, uma palavra (ou termo) por linha. Eventualmente, depois de uma tabulação, você pode mencionar a alternativa. O WF não a usará, mas a mostrará no aviso que ele dá dizendo que você usou uma palavra proibida. Faça uma lista para cada idioma no qual você traduz. Se você traduz para o inglês e para o português, serão duas listas distintas. Salve-as num local fácil de encontrar, com um nome sugestivo. Se você salvou sua lista negra na pasta de glossários com o nome WfBlacklist-PT será bem mais fácil encontrá-la, quando precisar usá-la, do que com o nome “senhor dos anéis” na pasta “c:\temp”.

Vamos agora configurar o Wordfast. Estas instruções valem para a versão em uso no momento, a 6.03t. Abra o painel de controle (Ctrl+Alt+W ou  , que o desenvolvedor do Wordfast insiste em chamar de Setup) e vá em Terminology/Blacklist. Lá você tem a opção de criar uma nova lista negra, mas como você seguiu minhas instruções e já tem a sua, basta clicar em Select e selecioná-la. Nesta mesma tela, há um botão Edit que você pode apertar, para você visualizar os termos da sua lista negra e, eventualmente, editá-los. Parece bobagem mas é muito útil, já que nessa tela você tem a opção de marcar/desmarcar os termos que você vai querer controlar. Por exemplo, em textos náuticos não se deve usar corda, o termo empregado é cabo. Neste caso você o marca. Mas se o texto for de qualquer outro assunto, corda não é termo proibido, portanto o desmarca. Além disso, precisará ir para a aba Setup/QA (Controle de Qualidade ou Quality Assurance). Aqui você tem a opção de marcar QA during translation, para que esse controle seja feito a cada vez que você passa para o segmento seguinte, ou então numa fase posterior, ao terminar a tradução, clicando no ícone . Mas não é só isso! Também precisa marcar a opção Check blacklisted terms. Et voilà!

Lembre-se que, se você marcou QA during translation, essa verificação é feita ao passar para o próximo segmento (Alt+↓ ou ), não à medida que você escreve!

Gostou desta dica? Use os botões abaixo e divulgue aos seus amigos. Quer ser avisado toda vez que eu publicar outra dica de Wordfast? Deixe seu e-mail no campo NÃO FIQUE POR FORA, à direita. Quer fazer um comentário? Use o formulário abaixo. Quer compartilhar algumas dicas? Entre em contato comigo.

1 Comments

Uma resposta para “A Lista Negra”

  1. marisa 15 de abril de 2013 em 23:30 #

    gostaria de ser informada da data do proximo curso de Wordfast.
    Obrigada

Mande uma resposta